Selo de um Governador de Jerusalém da Época do Primeiro Templo foi encontrado perto do Muro das Lamentações

Em 2018, Arqueólogos encontraram um Selo muito bem preservado que pertencia à um Governador de Jerusalém, datado de 2.700 anos – Época do Primeiro Templo.

Muitas dezenas de selos e impressões foram encontrados na antiga Jerusalém, incluindo nessa área do Monte do Templo. A Dra. Shlomit Weksler-Bdolah disse que muitos selos de Governadores de Jerusalém (chamado de “sar ha’ir”) – que era o oficial do mais alto escalão da cidade – estão circulando no mercado negro, infelizmente.

Mas esse selo, de apenas 1.3cm X 1.5cm é único, por sua origem inquestionável. Esse pedacinho de barro cozido tem apenas 2 milímetros de espessura.

Créditos: Clara Amit, Israel Antiquities Authority

A Dra. Shlomit Weksler-Bdolah diz que “O nosso é especial porque é a primeira vez que o selo do Governador da própria Cidade de Jerusalém foi encontrado no lugar certo.”

Os Professores Tallay Ornan (da Universidade Hebraica) e Benjamin Sass (da Universidade de Tel Aviv), dizem que, como Governador de Jerusalém, ele foi nomeado pelo Rei. A Bíblia menciona essa posição elevada duas vezes.

Um exemplo é a menção em 2 Reis 23:8 – no contexto em que Josias ajunta todo o povo e renova o pacto do SENHOR:

“E a todos os sacerdotes trouxe das cidades de Judá, e profanou os altos em que os sacerdotes incensavam, desde Geba até Berseba, e derribou os altos das portas, que estavam à entrada da porta de Josué, o chefe da cidade, e que estavam à mão esquerda daquele que entrava pela porta da cidade.”

A segunda menção à um Governador da Cidade é em 2 Crônicas 34:8 – onde diz que Josias repara o templo. Hilquias acha o livro da Lei.

“E, no ano décimo oitavo do seu reinado, havendo já purificado a terra e a casa, enviou a Safã, filho de Azalias, e a Maaséias, maioral da cidade, e a Joá, filho de Joacaz, registrador, para repararem a Casa do SENHOR, seu Deus.”

O QUE TEM NO SELO?

A parte superior da impressão do Selo mostra duas figuras (pessoas) em pé, olhando uma para a outra. Quem seriam essas pessoas ainda é um mistério, pois suas cabeças foram representadas como Pontos, sem nenhuma outra característica especial. As duas figuras estão vestidas com uma roupa listrada até os joelhos, dizem Ornan e Sass.

A parte inferior do Selo tem a inscrição em Hebraico Antigo “sari’r”, onde os Arqueólogos estão confiantes de que é o Hebraico Antigo para “sar ha’ir” (Governador da Cidade). Não há espaço entre as palavras, algo típico da época. Olhem abaixo o Selo com mais detalhes.

Créditos: Clara Amit, IAA

Weksler-Bdolah diz que a forma como o Governador poderia ter usado esse Selo é completamente desconhecida. Talvez ele tenha dado à uma pessoa como um souvenir/recordação em nome do Governador da Cidade ou servido como um símbolo para algum estilo.

O Selo de argila do Governador da Cidade foi notado durante os trabalhos de conservação de uma construção datada da Época do Primeiro Templo (o que Salomão construiu) – aproximadamente no Século 6 ou 7 antes de Cristo.

Escavação na praça do Muro das Lamentações (canto esquerdo)
Créditos: Dr. Shlomit Weksler-Bdolah, IAA

As escavações na praça do Muro das Lamentações que fundaram a construção começaram em 2005, foram suspensas em 2010 e agora estão sendo completadas, diz Weksler-Bdolah. Foi a escavação principal na praça que desenterrou o que restou dessa construção da Época do Primeiro Templo.

Naquele tempo, essa construção onde o Selo foi achado, era como diriam hoje em dia: TOP! De primeira linha. Ele estava localizado na encosta de uma colina e tinha vista para o Primeiro Templo. As paredes dessa construção tinham mais de 5 metros de altura e os Arqueólogos acreditam que essa construção era uma casa, mas não um tipo de prédio administrativo ou palácio, mas sim que as plantas das casas daquela época eram assim mesmo.

Pelo tamanho e localização dessa construção, a Doutora acredita que essa casa pertenceu à um oficial de alto escalão, o tipo de pessoa que teria um Selo para assinar documentos.

Doutora Shlomit Weksler-Bdolah com o Selo.

E vocês? O que acharam desse Selo? Quem será o verdadeiro dono dessa relíquia? Deixe nos comentários!

Traduzido do artigo do site Haaretz.

Créditos da imagem de capa: Yoli Schwartz.

E aí? Me conte o que achou do post!