Garoto de 6 anos encontra um raro tablete de 3.500 anos

Nesse ano de 2020, um garotinho de apenas 6 anos de idade acabou tendo uma surpresa impressionante em um passeio que dava com os pais em um sítio arqueológico de Tel Gama, perto da comunidade de Re’im, no sul de Israel e próximo à Gaza.

Trata-se de um pequeno tablete, datado de 3.500 anos e de apenas 2.8 cm², que retrata a cena de um homem levando um cativo nu e com as mãos amarradas atrás das costas.

O “sequestrador” tem um rosto cheio, enquanto o pobre capturado tem o rosto mais alongado.

Sequestrador e seu cativo.

O menino responsável por achar essa relíquia se chama Imri Elya, da comunidade de Nirim, próximo à faixa de Gaza.

Imri pegou o objeto e viu os dois homens gravados ali. Seus pais entraram em contato com a Autoridade de Antiguidades de Israel (IAA) e o objeto foi transferido para o Departamento de Tesouros Nacionais do IAA.

Depois de fotografar e documentar o artefato no laboratório de fotografias digitais da IAA, os Arqueólogos perceberam que nada similar ainda foi encontrado nas escavações arqueológicas de Israel.

Imri Elya segurando o Tablete encontrado.

Os Arqueólogos da IAA chamados Saar Ganor, Itamar Weissbein e Oren Shmueli acreditam que o tablete foi feito na tardia Idade do Bronze, entre os Séculos 12 e 15 a.C. Durante esse período, o Império Egípcio dominava Canaã.

O lugar Tel Gama é identificado com a cidade Cananita de Yurza, uma das cidades Cananitas mais fortes do sul do país. A cena retratada no tablete pode simbolicamente descrever os conflitos de poder entre Yurza e uma cidade próxima, como Gaza ou Ascalão.

Os Arqueólogos dizem que “isso abre uma janela visual para entender os conflitos por domínio no sul do país durante o período Cananita.”

E o mais legal de tudo isso, é que o garotinho Imri ganhou da IAA um Certificado de Bom Cidadão! Muito fofo, né? Ele é mais um na lista de crianças que encontraram artefatos arqueológicos.

E aí? Me conta nos comentários que tipo de artefato vocês gostariam de encontrar em um passeio.

Muito obrigada por ter lido até aqui. Vejo vocês na próxima e Shalom!

Traduzido do artigo do site Israel21C.

E aí? Me conte o que achou do post!